NO DISCURSO EM DAVOS, JAIR BOLSONARO DIZ QUE VAI CUIDAR DA SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL, PARA QUE O PAÍS SEJA VISITADO. ELA FAZ PROPAGANDA DA AMAZÔNIA E DAS PRAIAS. EM MANAUS: POLÍCIA MILITAR APREENDE MIL SACAS DE CARVÃO VEGETAL EM SITUAÇÃO IRREGULAR DURANTE OPERAÇÃO "ÁGUIA - BOINA VERDE" AO ESTADÃO, HAMILTON MOURÃO TAMBÉM DISSE QUE DIVERGÊNCIAS ENTRE PAULO GUEDES E ONYX LORENZONI ESTÃO SUPERADAS. “TEM ESSES PRIMEIROS DEZ DIAS, QUE É O MOMENTO DE CONHECER AS COISAS. O PAULO E O ONYX JÁ TROCARAM BEIJINHOS E ESTÁ TUDO CERTO.”
Arrow
Arrow
Slider

O Dia de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

O Dia de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

De janeiro de 2006 a abril de 2019, o Serviço de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (SAVVIS), da Prefeitura de Manaus, registrou 8.867 casos, dos quais 89% aconteceram em crianças e adolescentes de 0 a 19 anos. Essa estatística impressionante foi discutida na manhã desta sexta-feira, 10/5, em programação especial promovida pelo SAVVIS, em parceria com o Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes e Distrito de Saúde (Disa) Oeste , para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o dia 18 de maio.

O evento foi aberto ao público e aconteceu no Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, localizado na avenida Brasil, s/nº, Santo Antônio, zona Oeste. A manhã teve uma programação variada, que se iniciou com a apresentação das atrações musicais Bel Martine e da orquestra sinfônica do Colégio La Salle, sob o comando do maestro Wellington Brito.

Logo depois, a cerimônia de abertura contou com a presença da gerente do Distrito de Saúde Oeste da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Altemira Diniz; do presidente do Conselho Municipal de Saúde, Jorge Carneiro; e da diretora da Maternidade Dr. Moura Tapajóz, Angélica Marocchio.

“Esse é um momento de reflexão. Convido a todos para buscarem informações sobre o assunto. Precisamos saber como identificar essas situações, o que fazer quando identificamos, como abordar, assim como também o que não devemos fazer”, avaliou Angélica Marocchio. “Precisamos levar informação a todos os profissionais, a toda a comunidade. Só assim, poderemos enfrentar de forma mais efetiva essa grande mazela”, acrescentou a diretora.

A roda de conversa teve a participação de profissionais de saúde, educação e segurança, abordando temas como a introdução à cultura da paz, a importância do atendimento às vítimas de violência sexual, danos secundários resultantes da violência sexual, a importância da Polícia Militar no território que protege, a importância do professor na proteção à criança e ao adolescente, a participação da sociedade na formação de agressores e o atendimento do agressor, além da discussão sobre alternativas de proteção às crianças e adolescentes.

“Os adultos não estão conseguindo proteger as crianças e adolescentes como deveriam. Precisamos alertar a população para o fato de que a maior parte dos casos de violência sexual acontece dentro da própria casa e, em seguida, os maiores números de casos acontecem em casas de parentes e de vizinhos e amigos”, advertiu a coordenadora do SAVVIS, médica Zélia Campos.

A presidente do Instituto de Assistência à Criança e ao Adolescente Santo Antônio (Iacas), Amanda Ferreira, que trabalha há 20 anos em prol do combate à exploração sexual de crianças e adolescentes na Amazônia e recebeu, em abril deste ano, troféu no “Especial Inspiração” do programa Caldeirão do Huck, também participou do evento e destacou que, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), é dever e responsabilidade de todos proteger as crianças e adolescentes contra o abuso e exploração sexual.

“A violência sexual acontece todo dia, a toda hora. Nesse exato momento, há uma criança sendo abusada. Nesse exato momento, há também uma sendo explorada sexualmente. Temos que quebrar esse vício de se responsabilizar as vítimas por esses atos. É papel do adulto proteger e garantir a segurança das crianças e adolescentes. Precisamos garantir que o sistema de saúde seja qualificado e que o atendimento às vítimas seja feito com respeito e qualidade, sem violência institucional, para interromper o ciclo de violência em suas vidas”, explicou Amanda Ferreira.

O evento também contou com a participação da Pastoral da Criança, da Pastoral do Menor e da Rede Um Grito Pela Vida; dos psicólogos Márcio Santos e Lígia Duque; da assessora técnica e coordenadora das Ações de Prevenção e Enfrentamento às Violações dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Eliana Hayden e da representante da Secretaria de Estado da Educação e Qualidade de Ensino (Seduc), Alcione Lelo Reis.

A programação teve, ainda, a apresentação teatral “Liberdade”, com os alunos da Escola Estadual Áurea Pinheiro Braga, e sorteio de camisas produzidas pelo Instituto Jiquitaia, que é uma organização não governamental sem fins lucrativos, ligada à cultura, arte, educação e esporte e que tem em seus objetivos cuidar do bem-estar do jovem e do adolescente em situação social de risco. Também houve distribuição de lanches patrocinados pela Federação da Indústria e Comércio do Amazonas (FIEAM).

FAÇA BONITO

 

A Campanha Faça Bonito, é uma conquista que marca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes. Anualmente, a Campanha tem um dia nacional de mobilização, o dia 18 de maio, data escolhida porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”, nome de uma menina de apenas oito anos de idade que teve todos os seus direitos humanos violados: foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

 

SAVVIS

A rede de serviços do SAVVIS, da Prefeitura de Manaus, funciona na Maternidade Dr. Moura Tapajóz, na avenida Brasil, nº 1.335, Compensa, e atende a casos agudos e crônicos de violência sexual em regime de plantão, 24h por dia, sete dias por semana. O serviço é formado por uma equipe multiprofissional (médico, enfermeiro, psicólogo e assistente social) especialmente preparada para o atendimento prioritário e reservado, inclusive com leitos específicos em enfermaria em casos que se mostre necessária a internação. A orientação é de que o atendimento ocorra em até 72 horas do fato ocorrido.

Adão Gomes
Adão Gomes Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
Os comentários estão fechados.
Arrow
Arrow
Slider